Nosso blog está em manutenção...

Estamos preparando algumas novidades para vocês. Obrigado pela paciência :)

close ic

Dicas de Viagem para a Europa | Imigração, documentos, passagem, valores e hospedagem.

Quer ir pra Europa? Nesse post tem tudo o que você precisa saber antes de viajar!

Oie! Aqui embaixo vou te dar as melhores dicas de como se preparar pra ir pela primeira vez pra Europa. Como montar seu roteiro, quanto tempo ficar, como funciona a imigração e o visto, onde se hospedar, onde comprar boas passagens, quanto dinheiro levar, como se locomover, quantos dias ficar e como ter acesso a internet. Ufa! Se você está procurando informações sobre alguns desses itens, acho que posso te ajudar ;)

Se preferir ver todas essas dicas em vídeo dá o play aqui embaixo:

Como montar o roteiro?

Antes de começar a planejar a viagem, a primeira coisa é saber quantos dias você vai ter, listar os principais lugares/cidades que tem vontade de visitar e só então começar a fazer contas. Sim, organizar uma viagem é uma grande conta – de dias, horas, quilômetros e dinheiros.

Um exemplo: se você tem 10 dias disponíveis, pense que vai perder pelo menos dois dias viajando – 1 para a viagem de ida e 1 para a viagem de volta (considerando que os voos Brasil-Europa na maioria das vezes têm escala e todos têm duração por volta de 11 horas). Fora isso lembre-se que você vai passar pelas seguintes situações:

  • em quase todos os lugares do mundo o aeroporto é sempre longe da cidade, ou seja, tem todo o tempo de trajeto aeroporto -> hotel;
  • em escalas você sempre vai passar pelo raio-x, que geralmente tem filas, e se você for o “sortudo” pra revistarem suas coisas ainda tem essa – demora e é um saco;
  • tem alguns países que na escala já rola a imigração – mais filas e mais demora;
  • não se esqueça que também tem aquela famosa -e tensa- espera pela sua mala na esteira, isso pode ser rápido ou demorar um tempão, vai depender da sua sorte! he he

Então ó, já vou logo te avisando, nem conte com esse primeiro dia pra fazer nada – apenas pra comer um negocinho e descansar!

Eu sempre acho melhor arredondar para o “pior” e caso tenha sorte, você ganha horas a mais, mas se fizer o contrário e contar muito com a sorte, qualquer atraso vai estragar todo seu cronograma.

Depois que você souber os dias disponíveis e os lugares que quer ir, comece a colocar isso no papel: abra um mapa e calcule as distâncias – dá pra fazer isso no Google Maps mesmo. Sempre melhor fazer um roteiro redondo, em que você consiga ir de um lugar até o outro, e assim caminhar até o destino final/voo de volta, sem perder tempo. Então atente-se em pensar em uma rota em que você faça uma linha entre a primeira cidade e a última, assim não corre o risco de você ficar indo e voltando.

Quando você está na Europa tudo parece perto, e é, mas na hora de organizar as viagens internas, também não esqueça de calcular os tempos de arrumar as malas, fazer check out no hotel, ir até aeroporto, passar no raio-x, na imigração, buscar as malas e tudo aquilo que falei lá em cima! 

Minha dica: escolha os lugares que você mais quer conhecer e coloque como prioridade. Não adianta querer visitar 10 cidades em 10 dias, porque não vai dar tempo, vai ser cansativo e você não vai conseguir aproveitar de verdade nenhum dos lugares.

Eu sou aquela pessoa que gosta de ficar bastante tempo em cada lugar, pra conhecer, sentir a vibe, experimentar a culinária local, ver como as pessoas se vestem, falam, se alimentam… por isso, pra mim, o ideal é ficar pelo menos 4 dias em cada cidade. Mas tem gente que prefere ver só um geral de cada destino (e os principais pontos turísticos) e já partir pro outro! Eu costumo dizer que são estilos diferentes de aproveitar uma viagem… não existe certo ou errado. Vai na sua, que vai rolar! Só não esquece de calcular bem o tempo pra não se frustrar.

Berlin – Alemanha | 2018

Quando Ir?

Se a gente pensar na Europa como um todo, fica difícil escolher a melhor época do ano para visitar, porque isso vai depender muito dos destinos que quer conhecer e do estilo de viagem que você estiver afim de fazer.

No geral, o inverno da Europa é bem rigoroso em alguns países e a neve pode atrapalhar muitos dos passeios. Durante o inverno os dias são mais curtos, em alguns lugares chega a escurecer antes das 17h. Se você não está indo com o propósito de ver neve, esquiar e curtir o invernão, o melhor é visitar a Europa quando as temperaturas estão mais agradáveis e evitar o inverno.

Dicas de destinos legais para visitar no inverno: Suíça, Áustria, Paris, Londres… Normalmente cidades que têm a cultura da neve ou grandes cidades com muitas atrações indoor (museus, galerias, restaurantes).

O verão na Europa é maravilhoso e todos ficam muito animados por lá! A boemia rola solta e eles sabem mesmo curtir a época mais quente do ano! Os dias são longos (começam super cedo e dependendo da cidade, o sol só vai se por lá para as 22h), fica quente MESMO, então não vai achando que por estar na Europa as temperaturas serão diferentes do país tropical, viu?! Os termômetros, principalmente das cidades litorâneas, chegam a bater os 40 graus.

Fica uma dica importante aqui, no verão europeu as temperaturas podem subir demais e eu não aconselho pra quem quer turistar e bater perna nas cidades – quando fui pra Florença, estava tão quente que parecia que minha pressão ia cair a qualquer a momento. Pra vocês terem noção, a temperatura chegava aos 35 graus no meio da madrugada.

Outra observação sobre o verão: se você pretende visitar a Europa na alta temporada (Junho/Julho), se prepare para pagar mais caro em tudo: passagem de avião, hotel, passeios e restaurantes. Tudo fica mais caro e lotado, porque é quando os europeus estão de férias, então o turismo local já é muito grande – você vai até enfrentar filas e trânsito nas estradas.

Dicas de destinos legais para visitar no verão: Amsterdam, Barcelona (e Espanha no geral), Grécia, Croácia, litoral da Itália e de Portugal. Se você quer curtir uma praia, vá conhecer um pouco do verão europeu que é demais! Vale super a pena! 

Outono e Primavera são estações ideias para visitar o continente sem passar muito frio ou muito calor. Você não vai super sofrer com as temperaturas elevadas, nem muito baixas, enquanto dá o seu rolêzinho pelas cidades.

De qualquer forma, o destino e a estação precisam combinar, assim você consegue aproveitar melhor a sua viagem.

Cinque Terre – Itália | 2018

Como se locomover na Europa?

Quando você já está na Europa, existem algumas opções para viajar: alugar um carro, ou ir de ônibus, trem ou avião.

Eu tenho o costume de viajar sozinha, então não gosto muito da opção de alugar carro. Eu gosto de viajar de ônibus e trem, porém as viagens são longas – é preciso estar com bastante tempo disponível para não perder um dia. 

Viajar de carro nas cidades grandes é um estorvo: o trânsito é complicado, o estacionamento é difícil e caríssimo, na maioria dos países as ruas são estreitas e em certos lugares carros nem passam (tipo Veneza). Então, eu não aconselho, a não ser que você vá com alguns amigos, assim vocês dividem os custos e a direção. Mesmo assim, é legal olhar bem o mapa, saber por onde vai passar, pesquisar e entender os caminhos. Ah! E viajando de uma cidade pra outra existe fiscalização na estrada – é aí que eles carimbam seu passaporte.

Viajar de trem é bem gostoso, porém não é barato (de 50 euros pra cima), muitas vezes é mais caro do que a passagem de avião – por isso é sempre bom pesquisar bem antes de comprar. E como eu disse ali em cima, é demorado. Ah! Não ache que por viajar de trem você vai escapar da imigração, vira e mexe os fiscais passam pelos vagões verificando os passaportes e os tickets. Então deixe tudo sempre a mão, você pode precisar.

Viajar de ônibus também entra nesse esquemão demorado, mas eu curto. Dependendo do seu destino, esse trajeto pode durar mais de 10 horas (então programa-se pra fazer viagens noturnas, assim você otimiza o seu tempo). A passagem é barata (por volta de 15 euros), então se você tiver tempo, é um bom negócio. Mas a diferença do trem pro ônibus, além do preço, é que nesse segundo caso você acaba tendo que fazer várias paradas – dificilmente você faz uma viagem direto pro destino final. A fiscalização acontece nas fronteiras dos países – os fiscais entram e pedem a documentação pra algumas pessoas só, geralmente não é pra todo mundo.

Aqui nesse site tem todas as informações que você precisa saber pra viajar de ônibus, os valores, e já pode até fazer a sua compra: https://www.flixbus.com/

Nesse aqui você consegue colocar o trajeto e entender se é melhor fazer de ônibus ou trem, e também já consegue efetuar a compra: https://www.goeuro.com/

Viajar de avião é mais rápido. Você voa pra qualquer lugar dentro da Europa em mais ou menos 3 horas, muitos trajetos são voos curtíssimos de 50 minutos – vale muito a pena para quem tem poucos dias. As passagens não são super baratas, mas vale pesquisar, às vezes rolam umas promoções. No geral, elas ficam por volta dos 800 reais, dependendo do trecho que você for percorrer. Lembrando que viajar de avião tem todo aquele lance raio-x – imigração – espera das malas na esteira.

Uma dica das boas pra quem curte viajar de avião – se você comprar sua passagem de ida do Brasil para Europa com KLM ou Air France existe o esquema do Stop Over, que é DEMAIS! Mais infos: http://www.klm.com

Se você for pra qualquer destino com escala em Amsterdam ou Paris, você pode parar nessas cidades (ou na ida ou na volta) e ficar quantos dias quiser – e depois seguir viagem para o seu destino. Ou seja, você não vai ter que pagar uma terceira passagem até o próximo destino. É um jeito maravilhoso de visitar uma cidade a mais.

É na compra da passagem que você agenda o seu Stop Over!

Falando em KLM…

É minha companhia preferida para ir pra Europa – real oficial.

Eu nunca viajei de Business ou Primeira Classe, por motivos $$$ e o que eu gosto na KLM é que os assentos da econômica são bem confortáveis, o serviço de bordo é excepcional… sei lá, eu gosto muito de viajar e gosto desse momento do avião. Tem gente que não curte e tals, mas eu gosto… é uma hora que eu literalmente me desligo de tudo e descanso a minha cabeça. Então, gosto de um bom atendimento, de uma comidinha boa (óbvio he he) e amo quando o catálogo de filmes e séries tem novidades!

Ah e olha que massa, na hora de comprar a passagem, dá pra escolher se sua refeição vai ser vegetariana, sem lactose, sem glúten, etc, tem várias opções! Demais, né?!

Por esses motivos, quando eu compro as passagens, acabo escolhendo a KLM.

Ahhhh e eles tem um aplicativo bem mara, que você consegue acompanhar tudo: fazer check in, receber lembretes com o portão que você deve se dirigir e até o número da esteira da sua mala. E rola um esquema também de receber mensagem pelo whatsup pra tirar dúvidas. O atendimento é muito bom mesmo! Acho moderno, acho show! Mais infos: http://www.klm.com

 

Onde se hospedar?

Eu sempre falo que a hospedagem vai depender muito do tipo de viagem que você quer fazer.

  • Seu lugar é o hostel – se você estiver querendo conhecer gente, curtir mais os lugares que você for passar, do que necessariamente o lugar em que você vai se hospedar, não estiver muito apegado a conforto e não quiser gastar muito dinheiro. Na Europa têm vários hostels super legais, bem bacaninhas, com preços mais acessíveis, e quartos compartilhados ou não (existem as opções de dividir com 8, 6, 4, 2 pessoas desconhecidas ou com seus amigos mesmo, quartos mistos ou só de mulheres/homens, com banheiro privativo ou compartilhado). Tem que pesquisar e ver qual a sua vibe do momento. Onde achar hostel? Hostel World | Booking
  • Seu lugar é o airbnb – se você estiver com mais amigos e quiser dividir um espaço por alguns dias. Dá pra você alugar apês, casinhas, quartos – e normalmente fica mais barato que pagar um hotel. No airbnb não tem o lance do check in, nem café da manhã incluso, nem serviço de camareira. Geralmente tem uma cozinha com alguns itens, e o bacana é que se você estiver querendo economizar, rola comprar coisinhas no mercado e comer no seu apezinho. O legal dessa opção é que você acaba vivendo como alguém que mora ali na cidade. Eu fiquei em um apartamento super fofo em Paris, bem pequeno, mas muito gracinha, com duas camas, banheiro limpinho e privativo, cozinha, com uma ótima localização (pertinho do metro) e o anfitrião morava no mesmo prédio, ele nos servia café da manhã todos os dias. Então, pode ser uma experiência bem bacana! Mais infos: www.Airbnb.com.br
  • Seu lugar é o hotel – se você estiver procurando conforto! Acordar, deixar o quarto bagunçado e voltar com tudo arrumado, café da manhã disponível no salão das 8h as 10h, e todas as regalias de quem paga um quarto de hotel =) Lembre-se sempre do mais importante quando escolher essa opção: vá pela localização e pelo conforto. Não se apegue a itens como SPA, piscina e outros serviços extras, porque acredite em mim: você não vai ter tempo pra usufruir. Vale mais a pena estar perto dos lugares que você quer conhecer, do que um mergulho na piscina.

    Hotel Pulitzer – Amsterdã | 2018

Como funciona a imigração?

Pra ir pra Europa você não precisa tirar um visto antes de ir viajar, a imigração é feita na hora que você desembarca em algum país de lá – antes de sair do aeroporto – ou no primeiro destino da sua escala.

Coisas importantes que você precisa saber:

  • precisa ter passaporte válido – a validade é de 6 meses após o dia de volta. Então por exemplo: se você vai viajar em junho e voltar em julho, e o seu passaporte for vencer em setembro, já tem que renovar!!! Mesmo que o passaporte não esteja vencido, se você for voltar da sua viagem em julho, o seu passaporte tem que ter validade de janeiro do ano seguinte em diante;
  • se você está a turismo em qualquer país da Europa, você só pode ficar 90 dias por lá. Passado esse tempo, você já é considerado ilegal, e quando passar pela imigração, irão te questionar e possivelmente proibir sua entrada por lá novamente.

Se você for parado na imigração e te fizerem qualquer questionamento sobre sua viagem e o porquê de você estar visitando aquele(s) país(es), fique tranquilo! Em qualquer lugar eles desenrolam o inglês, então se você souber o idioma é só explicar com calma que está indo viajar de férias e caso seja solicitado, mostre os documentos necessários. Se não dominar a língua muito bem, apresente os documentos e eles vão te liberar ;) Mas é importante manter a tranquilidade.

Quais são os documentos que eles geralmente pedem na imigração?

  • passagem de volta – é legal provar que você tem data pra voltar pro Brasil;
  • seguro viagem – de até 30.000 euros (vc paga uns 500 reais) – é indispensável viajar com seguro viagem pra qualquer lugar que você vá, isso cobre as suas despesas, caso você tenha algum problema de saúde ou sofra um acidente – têm várias opções, das mais baratas até as mais caras e completas, que você pode fazer através do banco ou de seguradoras;
  • reserva do hotel ou airbnb – se for ficar na casa de algum amigo ou parente, peça pra eles escreverem uma carta convite;
  • dinheiro suficiente para os dias que for ficar (no mínimo 30 euros por dia) – você pode provar mostrando o dinheiro vivo mesmo ou através de um comprovante bancário;
  • fique de olho nas vacinas que são exigidas para os países que você for passar, é necessário levar a carteira de vacinação internacional. Você consegue esse certificado pela Anvisa, tem no próprio aeroporto de guarulhos, por exemplo – precisa só ver quais são os documentos necessários.

Vao sempre te pedir? Não. Mas se você for parado e não tiver esses documentos, corre risco de ser deportado.

Quantas malas devo levar?

Bom, agora que já está com o cronograma certinho, passagens compradas, hospedagem fechada, documentos em dia, chegou a hora de fazer as malas!

E a minha principal dica é: MALAS PEQUENAS. E é sério! Você precisa me ouvir quando digo que você não precisa levar um mundaréu de malas.

As ruas das cidades europeias são muito estreitas, e você vai precisar passar por catracas, esteiras, escadas rolantes, vai andar por trens, caminhar, caminhar e caminhar, despachar malas nas companhias aéreas, frequentar pequenos banheiros, andar de ônibus, metrô, tudo isso com suas malas companheiras, e ah! ainda vai ter que carregá-las escadas acima (muitos, muitos MESMO, hoteis na Europa não tem elevador), então uma dica de quem sofreu bastante com várias malas grandes e pesadas: vá com uma mala pequena e leve, só com o que você precisa MESMO. Você vai me agradecer. 

Deixe pra comprar uma mala nova, pra adicionar todas as suas comprinhas, quando estiver voltando, assim você já vai ter enfrentado todos os obstáculos.

Fiquei quase 40 dias na minha última viagem pra Europa e levei apenas uma mala de 24kg e uma mochila, que foram mais do que suficientes!

Quanto $$$ e como levar?

Existem algumas opções pra você levar seu dinheiro pra Europa:

  • Dinheiro – você pode trocar o dinheiro aqui nas casas de câmbio do Brasil e levar em cash mesmo. Se preferir essa opção, lembre-se de separar bolinhos de dinheiro e guardar em lugares diferentes (carteira, bolsa, doleira), CASO você seja roubado, não vão levar todo o seu dinheiro.
  • Cartão de Crédito – você precisa ter um cartão internacional, e antes de viajar você tem que avisar o seu banco que vai fazer uma viagem, pra onde e quanto tempo vai ficar, através de um aviso viagem que geralmente tem no próprio site ou app deles. O banco te dando essa autorização, você pode usar o seu cartão com tranquilidade. Mas lembre-se que nesse caso você vai pagar o IOF, que é uma taxa de mais ou menos 6%, em cima das compras que você fizer fora do país. Fora isso, o valor da moeda pode variar até fechar a sua fatura. E é com a cotação do dia do fechamento que o banco faz a conversão – então é só aí que você realmente vai saber quanto gastou naquela compra. Minha dica: use o cartão só para casos extremos de necessidade, pra não gastar dinheiro com taxas.
  • Travel Money – você pode adquirir no seu banco ou nas casas de câmbio. Você carrega com o valor que quiser, seu dinheiro fica guardadinho lá e você pode passar nos lugares como um cartão, ou sacar o dinheiro (nesse caso tem uma taxa de mais ou menos 2% pra cada saque). A diferença entre o cartão de crédito e o travel money, é que no segundo caso você paga o IOF ao adquirir o cartão, então não existe a possibilidade de ter uma surpresa no final da viagem. Como ele é um cartão recarregável, você vai pagar a taxa em cima do valor que inserir nele, antes mesmo de viajar.

Muitas cidades não aceitam cartão de crédito, por exemplo, Berlin – então é bom estar com o dinheirinho no bolso. Outras cidades só aceitam cartão na maioria dos lugares, por exemplo, Amsterdã – então é bom sempre estar com seu cartão.

Eu gosto de levar o dinheiro em espécie para usar todos os dias e o cartão de crédito eu sempre levo comigo, mas apenas para emergências. 

Sobre a quantidade de dinheiro, vai depender do que e de como você pretende gastar. Mas o ideal é sempre pensar em 50 euros por dia – pensando em alimentação e transporte (fora hospedagem).

Como faço pra ter internet?

Essa é uma pergunta que sempre recebo: qual internet contratar. Eu sinceramente não consigo mais viver sem internet, principalmente porque é muito útil para se achar nos lugares e pra usar o google maps – sério, google maps é meu melhor amigo quando estou viajando sozinha, e também vai ser o seu! Você se encontra em qualquer lugar.

Existem algumas empresas que vendem chips aqui no Brasil mesmo, você compra pela internet, escolhe seu plano, chega em casa, você já coloca o chip no próprio avião e já desembarca nas Europa conectado. Mas também rola comprar no aeroporto do país que você for ou nas lujinhas especializadas dentro da cidade. Geralmente custa de 20 euros pra cima – mas funciona muito bem, e sério, é bem necessário, principalmente quando o assunto é localização, então vale o investimento.

O que fazer em cada lugar?

Claro que tudo é uma questão saber o tipo de viagem que você quer fazer, mas é sempre bom lembrar que Europa não é só igreja e monumento. Tem muitas e muitas coisas para descobrir, explorar e experimentar! A minha dica é não se prender tanto aos cartões portais, tentar procurar passeios e lugares de acordo com seus gostos pessoais: arte, gastronomia, música, compras…

Na hora de montar o roteiro, eu gosto de pesquisar em blogs, ver vídeos no youtube e também pegar dicas com quem eu acho que tem a mesma vibe que eu… isso é muito importante, ver se a pessoa tem os gostos parecidos com os seus antes de aceitar qualquer sugestão de lugar pra conhecer (as pessoas são muito diferentes!).

Eu não gosto de visitar pontos turísticos, por exemplo. Não gosto de perder horas pra ir até um monumento, tirar foto e voltar – então sempre tento achar coisas pra fazer ao redor dos pontos turísticos, assim ver a Torre Eiffel torna-se só mais uma parada no meio do meu passeio.

Quando for visitar cidades maiores (Paris, Barcelona, Londres, etc.) é melhor pensar no seu roteiro de acordo com os bairros e regiões – pra não perder tanto tempo indo e voltando o tempo todo.

Acho que é isso! Ufa! É muita coisa mesmo que precisa se atentar antes de partir pra uma viagem no continente Europeu. Mas depois que você viaja a primeira vez, acaba se acostumando com toda essa rotina.

Fica aqui a minha última e mais importante dica: VIAGEM! Faz bem pra alma, acalma o coração, enriquece a cabeça, aumenta as perspectivas, traz alegria pro sorriso e brilho no olhar.

Beijos e boa Europa pra você! Curta muito e viva intensamente cada segundinho nessas terras bonitas <3