Nosso blog está em manutenção...

Estamos preparando algumas novidades para vocês. Obrigado pela paciência :)

close ic

O que fazer no Chile? Dicas de onde se hospedar, restaurantes e passeios.

Aqui vou te dar dicas do que fazer no Chile com base na experiência que tive em 2018. :)

Fiz uma viagem para o Chile em junho de 2018 e como junho é sempre o começo da alta temporada na terra da Cordilheira dos Andes, resolvi fazer um post com algumas dicas boas pra quem quer passar as férias de inverno por lá pela primeira vez.

Eu fiquei 7 dias, sendo 5 deles em Santiago e 2 dias em Farellones (no alto das montanhas, na neve). Nos meus 5 dias em Santiago, 3 dias curtimos a cidade, e nos outros 2 dias fomos para Cajón Del Maipo e para a Vinícola Santa Rita. Um dos dias em Farellones usamos para curtir o hotel e a paisagem, no outro fomos esquiar no parque e no outro fomos embora direto para o aeroporto. Mas vou explicar tudo que fizemos por tópicos pra ficar mais fácil!

Nós optamos por ir para as montanhas, porque o intuito era ver a neve pela primeira vez, então não fomos para o sul onde fica Valparaíso e Vinã del Mar.

do avião já é possível ver as Cordilheiras

Dicas Pré Viagem

  • além dos pesos, leve dinheiro em real, muitos lugares e passeios aceitam a nossa moeda, além disso, você pode comprar pesos nas casas de câmbio por lá também (isso evita que você leve uma grande quantidade de pesos que você pode acabar nem usando);
  • atenção na reserva dos hoteis: muitos deles, você pode fazer a reserva sem nenhum custo, mas quando chega no dia da hospedagem tem que pagar tudo de uma vez, ou seja, não dá pra parcelar. E alguns deles só aceitam dinheiro. Então fique atento quando fechar a reserva;
  • lá é tudo caro, tá?! não vá pensando que só porque o peso é mais barato que o real, que você estará rico ao chegar em terras chilenas. Os restaurantes chegam até a ser mais caros do que aqui em São Paulo. Então calcule direitinho quanto dinheiro você precisa ter pra gastar por dia, considerando passeios e restaurantes;
  • pra ir pro Chile não precisa de passaporte, nem visto, nem vacina, é só levar seu RG e suas passagens. Mas é sempre bom fazer um Seguro Saúde, caso você tenha qualquer problema durante a sua viagem;
  • se você for quando estiver nevando, minha dica é: se hospede em Farellones, e passe pelo menos 3 dias em algum hotel pra curtir a neve de pertinho;
  • em uma semana você consegue fazer bastante coisa, mas se der pra ficar mais dias, a sua viagem será bem mais tranquila e você poderá aproveitar tudinho que Santiago tem pra oferecer: vinícolas, montanhas, neve e até praia.

HOTÉIS QUE ME HOSPEDEI

Travel Place Lyon

Essse foi o hotel que ficamos em Santiago, encontrei no Booking mesmo. Na verdade ele funciona mais como um flat. Chegamos lá e nossa chave estava em um envelope na portaria. O quarto era muito fofinho e super espaçoso, com varanda e uma vista linda para a Cordilheira dos Andes. Tinha uma cozinha pequena, equipada com fogão, geladeira e microondas. Uma salinha e um quarto bem amplo com tv e banheiro (e banheira). A cama era enooooorme! Tinha calefação e cobertas bem quentinhas.

No envelope que veio a chave, tinha um papel que indicava qual era o quarto que ficava localizado o escritório do proprietário. Nós descemos lá, conhecemos o rapaz, pagamos o quarto com cartão de crédito e pronto. Não tivemos mais contato com ninguém, ficamos livres pra entrar e sair do prédio a hora que quiséssemos.

O prédio era 24h e tinha sempre alguém na recepção. Ficava localizado no bairro de Providência (um dos mais fofinhos, movimentados e hypados do Chile) e a poucos passos da estação de metrô Los Leones. Localização perfeita, próximo à restaurantes, lojas, shoppings e várias atrações.

O valor para 5 noites para 2 pessoas foi de aproximadamente R$1300. Bem justo! Foi mais ou menos 260 reais por noite.

Ah! Não tinha café da manhã, mesmo porquê funciona como um prédio com apartamentos, não tem restaurante.


Hostel El Picon

Esse hostel foi o que ficamos hospedados quando fomos para Farellones, nas montanhas. E foi uma DELÍCIA!

Apesar de ser um hostel, era tudo bem organizadinho, limpo, confortável e até que espaçoso, viu?! Nosso quartinho tinha uma cama de casal com muitos cobertores, beliche, tv, banheiro e varanda com vista, é claro, para a Cordilheira dos Andes. Calefação e chuveiro bem quentinhos.

Do lado de fora da casinha tinha uma cozinha pequena, caso você quisesse guardar vinhos, queijos ou qualquer coisa que você tenha levado para comer lá.

Já aproveito para dar uma dica importante: compre coisas no mercado em Santiago e leve para comer/fazer em Farellones, porque lá mesmo as coisas fecham cedo e quase não tem comércio. Então pra evitar uma fome desnecessária e qualquer frustração, leve seu vinho, queijos, salgadinhos, lanches, miojo ou o que tiver afim de comer/cozinhar.

Pra chegar até lá não é tão simples. Você tem que alugar um carro (se estiver nevando tem que colocar as correntes próprias pra neve nas rodas) e eu aconselho a ter bastante experiência na direção, porque as curvas são muito sinuosas – dá medo real! Ou você pode contratar algum motorista. Nós fomos até lá através de uma excursão que ia para o Valle Nevado, já aproveitamos para conhecer o parque e enquanto a galera curtia as atrações, pedimos para que eles nos deixassem na porta do hostel. Pagamos aproximadamente 100 reais por pessoa (18.000 pesos) para nos levarem até lá. Ah! Antes de chegarmos lá, eles fizeram uma parada que parece ser meio clássica, pra galera fazer ski bunda, que é basicamente descer uma montanha com uma altura razoável cheia de neve, em cima de uma prancha. Confesso que fiquei com muito medo, mas foi DEMAIS! haha

Como chegamos lá no final do dia, lá pelas 16h e pouco, tudo já estava fechando, mas conseguimos curtir um pôr-do-sol de tirar o fôlego. Quando anoiteceu, voltamos para o hostel, tomamos um super banho quente e ficamos na varanda comendo queijinhos, pães, patês e tomando um bom vinho chileno.

No dia seguinte acordamos cedo e fomos curtir o parque, mas eu conto melhor sobre lá embaixo na parte dos passeios.

Para ir embora de Farellones também não é nada fácil, se você não fecha com uma excursão, meu conselho é fechar um preço com o próprio Victor, proprietário do Hostel, e ele te leva de volta para Santiago – no nosso caso ele nos deixou no aeroporto no horário que precisávamos. Mas o valor foi BEM salgado. Algo como 700 reais. É caro, mas valeu cada segundo da nossa hospedagem por lá.

Ah! Falando do Victor, ele é um cara muito massa, excelente e te dá todo o apoio necessário. Meu namorado queria me pedir em namoro, e mandou um whatsapp pra ele antes de viajarmos, combinando com o Victor que comprasse uma rosa e deixasse no quarto assim que eu chegasse lá. E ele o fez! Muito fofo!

O valor da hospedagem é um pouco mais salgado, pagamos mais ou menos R$1500 por 2 noites.

o pôr do sol mais lindo que já vi, em Farellones.
não tem filtro!
a cidade de Farellones parece de filme!
essa era a vista do nosso quarto no Hostel El Picon

OS MELHORES LANCHOS

Aquí Está Coco

Restaurante refinado, discreto e intimista que fica localizado no bairro de Providência. Foi um dos restaurantes mais deliciosos que a gente já foi, mas um dos mais caros. Saiu por volta de 350 reais.

Esse foi o primeiro restaurante que a gente foi quando chegamos em Santiago, e a partir daí também repensamos o valor que tínhamos levado. Não ia dar pra ir em um restaurante desse por dia. O nosso orçamento ia estourar.

Mas, se você quer curtir boa comida, ser super bem atendido e ter uma experiência deliciosa, VÁ! Mas sabendo que vai pagar caro.

Comi um peixe delicioso, super levinho com chips de batatas crocantes por cima. O vinho era incrível, chamava Caliterra, um carménere de 2015.

Ah! Informação importante: fomos a pé do flat até lá.

La Concepción 236, Providencia

peixe branco com batatinhas no Aquí Está Coco

Baco Vino y Bistro

Baco foi um achadinho! Estávamos meio frustrados por não termos encontrado nenhum restaurante gostoso com um valor bom, e aí procurando na internet, achamos pelo tripadvisor o Baco, que estava cheio de notas boas. Fomos meio receosos, a pé, seguindo o direcionamento do google maps, e chegamos em um amplo e iluminado restaurante, escondido nas ruelas de Providência.

Na parede estão escritos os nomes dos vinhos, com seus respectivos valores. E no cantinho um recado: “Una Copa Baco R$3500” “Una Copa Baco POR FAVOR R$3000”. Quem não quer economizar 500 pesos apenas sendo educado?! Cada taça de vinho saia então por R$17 mais ou menos.

Pedimos um tartar excelente, com batata frita bem sequinha e salada. E de entradinha pãezinhos da casa com azeite. Não lembro o valor, mas tinha um ótimo custo benefício.

Vale o rolê!

Nueva de Lyon 113, Providencia

Pampas Fuegos Argentinos

O Pampas descobrimos andando pelo bairro, esse restaurante ficava na rua do flat que ficamos hospedados. Sempre estava cheio e então resolvemos entrar e testar!

O atendimento era excelente! Apesar de lotado, os pratos chegaram bem rápido e as garçonetes foram super atenciosas.

Foi a taça de vinho mais barata que bebemos durante toda a viagem, saiu por volta de 2100 pesos, o que na época dava mais ou menos R$11.

Como um bom restaurante argentino, eles são especializados em carnes. Logo atrás de nós ficava a churrasqueira onde eles preparavam as carnes, tudo ali, na nossa frente.

Lembro que pedi uma Milanesa Napolitana que era deliciosa e que comemos batatinhas com um molinho de alho muito gostoso. Custo benefício bem show!

Se você curte carne, vale a visita!

Nueva de Lyon 105, local 9, Providencia

Lomo Luco Bar

Andando pelas ruas de Providência pra procurar algum sinal de vida noturna, avistamos uma rua sem saída com uma mini vila cheia de luzes coloridas e muito movimento! Quando nos aproximamos, percebemos que eram vários bares, um ao lado do outro, que é onde os locais fazem o Happy Hour. Era exatamente o que a gente queria: ver gente, agito, música e drinks.

Tava rolando double chopp e eles nos deram uma porção de mini empanadas grátis. Foi uma noite bem gostosinha. Vale a pena procurar por essa vilinha e sentar em algum dos barzinhos pra curtir uma vibe mais descontraída tomando drinks.

O Alex pediu um ceviche, que não estava mega excelente. Ok, a ideia era apenas tomar umas e nisso eles mandam bem.

Orrego Luco, Providencia

happy hour no Lomo Luco Bar

El Montañes

Nas montanhas, lá em Farellones, fomos no El Montañes, um dos melhores restaurantes que visitamos durante toda a viagem.

Ele fica em cima do Parque e é todinho cheio de janelas, que dão vista para as montanhas. É lindo de ver! Aquele famoso “lunch with a view”.

O cardápio tem muitas opções de entradas, tapas, e vários pratos diferentes. Meu namorado, Alex, pediu um tartar de atum que era espetacular e eu pedi uma pizza individual. Era tudo bem bem gostoso! Ficamos felizes e satisfeitos :)

Infelizmente não lembro dos valores, mas com certeza não foi barato, porém, o sabor compensou o preço.

El Rodeo 13096, Lo Barnechea

um Pisco Sour com vista para o Parque de Farellones

Agora também preciso dizer quais os restaurantes eu não indico:

La Piccola Italia – o preço é bom, a comida é mais ou menos, o ambiente não é legal. Não vale o rolê!

Mercado Central de Santiago – preço não é bom e a comida é ruim (pedimos uma casquinha de siri e uma paella que não estavam muito boas). O ambiente é igual a qualquer outro mercadão. Só vá se você curtir muito a vibe “Mercado Central”, eu não sou uma big fan.


Passeios que você não pode deixar de fazer!

Cajón Del Maipo

Cajón é passeio indispensável pra quem vai pro Chile. É uma região composta por vales, rios e montanhas.  Nós fomos visitar o Embalse el Yeso, que é o principal reservatório de água que abastece a cidade de Santiago. A água do rio é verdinha e somada com um céu bem azul e as montanhas branquinhas cobertas de neve, formam uma paisagem de encher os olhos. É inacreditável!

Mas é importante ir com uma agência certificada e especializada. Porque para chegar até lá a estrada é bem sinuosa, e quando está nevando, fica ainda mais perigoso dirigir por ali. Fora isso, tem a altitude, que faz com que nosso corpo possa ter reações, como falta de ar, mal estar e enjoo. Então pesquise direitinho e veja as recomendações sobre o guia e a agência de turismo que te acompanharão até lá. Eu fui com a agência 4 happy turismo e pagamos mais ou menos 255 reais O CASAL (por volta de 46.000 pesos)

No caminho até o Embalse el Yeso, eles param em uma cabana/restaurante, pra que você alugue roupas para neve (caso você não tenha ido preparado) e pra tomar um cafezinho com bagel (afinal, é bastante tempo de viagem e você não vai ter outro lugar pra comer ou fazer xixi tão cedo). Eles aceitam real! E ah! Uma dica por experiência própria: não tem necessidade de alugar a calça de neve pra esse rolê, eu aconselho apenas a alugar as botas. E se você foi sem, alugue luvas, porque o frio é de cortar. Fora isso, o ideal é você já ir para lá preparado, com uma calça bem quente, touca, blusas de frio e corta vento impermeável – isso é indispensável. Ah! Isso claro, se você for no inverno, como eu. Fui na segunda semana de junho.

Bom, depois de todo mundo comer, alugar as roupinhas e fazer xixi, bora pegar a estrada para o destino final.

Chegando nesse lugar incrível, você tem que acompanhar o seu guia, que vai te levar até o limite de onde você pode ir. Respeite quem está te guiando, a natureza é imprevisível, então fique de olho em todas as dicas de quem tem experiência e não se arrisque a andar sozinho.

A ideia é apreciar a paisagem, sentar na neve, tirar fotinhos e curtir a vibe do lugar. No fim do passeio, a maioria dos guias prepara uma mesa com queijos, quitutes e vinhos, pra comer enquanto a gente admira a beleza do lugar. É uma delícia! Isso estava incluso no valor que pagamos pelo passeio.

Na volta eles passam na cabana de novo, para devolver as roupas, fazer mais um xixi e seguir direto para os hoteis.

É mágico e já vale toda a viagem! <3

lanchinho na parada, antes de chegar no Cajón
a vista no Embalse el Yeso é incrível!
paisagem coberta de neve
piquenique com petiscos e vinho no Cajón


Cerro San Cristóbal 

O Cerro San Cristóbal é o segundo pico mais alto da cidade, e de lá você vai ter uma vista panorâmica e maravilhosa da cidade inteirinha.

Para chegar até lá você pode subir de funicular (dá um medinho, mas é super rápido, no máximo 10 minutos de subida), que você pega no bairro Bellavista. Aí chegando lá você fica livre pra curtir a paisagem, subir ainda mais para entrar no santuário, tirar fotos e afins. Não tem guia! Apenas se atente aos horários de funcionamento para o parque não fechar enquanto você estiver lá dentro. he he

A gente optou por voltar de teleférico, porque ele desce no bairro que estávamos hospedados, Providência. Ou seja, você pode entrar por um bairro e sair em outro. Ou se preferir, pode entrar e sair pelo mesmo lugar.

Se você for entrar por funicular e sair por teleférico, tem que comprar os respectivos tickets, ok?! Sai bem baratinho, por volta de R$10 por pessoa, ida e volta.

a vista do Cerro San Cristóban
a luz do Cerro é linda!

Patio Bellavista

Aproveite esse rolê do Cerro San Cristóbal pra desbravar o bairro lindinho de Bellavista. Visite o famoso Patio Bellavista, que é um shopping fofo a céu aberto. Vista bonita (como em quase todos os lugares do Chile), várias opções de restaurantes e lojinhas.

Não comemos em nenhum específico, porque erramos feio almoçando no mercado central antes de irmos pra lá. Mas sentamos em um dos restaurantes no andar de cima, pedimos um vinho (lembro que era barato) e ficamos assistindo um dos jogos da Copa do Mundo, enquanto entardecia.

Vale muito reservar um tempinho pra conhecer o shopping, é uma graça!

o Patio Bella Vista é um shopping a céu aberto cheio de lojinhas e restaurantes fofos

Vinícola

Bom, já que você está no Chile e lá eles produzem muuuuuuitos vinhos, inclusives vários dos quais consumimos aqui no Brasil, eu acho que você TEM que fazer o rolê da vinícola para entender os processos, experimentar vários tipos e tals.

Eu fui na vinícola Santa Rita, e honestamente, fiquei meio frustrada. Então recomendo que você pesquise melhor alguma vinícola mais raiz, que eles ofereçam mesa de degustação – que eu sei que existe, mas tem que dar uma caçada. Ou seja, eu não recomendo as Vinícolas mais conhecidas, sabe?!

Por que eu fiquei frustrada? Porque a explicação toda dos processos é bem lenta e minuciosa (até aí tudo bem, porque tudo que o guia nos passa de informação é interessante), mas a parte da degustação de vinhos não foi legal. Eles te fazem praticamente virar a taça de vinho super rápido, pra que você possa experimentar outra. Foram apenas 3 tipos de vinhos diferentes, que degustamos, sei lá, em menos de 10 minutos. O guia nos fez engolirmos, alegando que em seguida chegaria outra turma. Po, a parte mais bacana foi a menos valorizada. Não curti!

Ah! Pagamos aproximadamente R$140 por pessoa.

Então não recomendo a Santa Rita, mas sugiro que sim, vocês conheçam alguma das muitas vinícolas que o Chile abriga.

fui conhecer a vinícola Santa Rita

Parque de Farellones

O Parque de Farellones é bem mais vazio do que o do Valle Nevado, então já começa ganhando pontos aí.

Você pode comprar um ticket que dá acesso a todas as atividades, menos o esqui, que custa por volta de 30.000 pesos chilenos, o que dá mais ou menos 170 reais. E quais são essas atividades Maíra? Você pode passear de teleférico, andar de bicicleta e descer de escorregador dentro de pneus.

Eu e o Alex escolhemos o pacote que já incluía 1 hora de aulas particulares de ski + aluguel de equipamentos + acesso à todas as atividades do parque. Isso custou uma pequena bagatela de 340 reais por pessoa, mais ou menos. Se você preferir, pode optar pelo combo das 2 horas de aulas coletivas, que é mais barato, mas eu não acho que compensa. Porque na opção que escolhi, a professora ficou uma hora inteirinha apenas comigo. E se não fosse isso, eu com certeza não teria aprendido a descer o morro sem cair. Então, se a sua intenção é aprender a andar de ski ou pelo menos vivenciar essa experiência de uma maneira tranquila, eu aconselho a fechar esse pacote de aulas particulares. Ah! Se você preferir, rola pegar snowboard, ao invés do ski, pelo mesmo valor.

Nós chegamos no parque por volta das 11h30, estava nevando muito, mal dava pra enxergar. Ao comprar nossos tickets já agendamos nossas aulas para às 13h. Fomos alugar calça e bota especiais, pra enfrentar a neve que tava rolando no parque (a bota era só pra usar no parque, porque tava nevando muito, não era pra usar esquiando). Depois disso fomos direto para a salinha dos equipamentos, para pegar a nossa prancha e as botinhas de ski.

Já fica aqui uma dica, se você tem esse tempo todo de espera até a aula, não se apresse em já colocar o equipamento do ski, porque você não pode esperar dentro da salinha sentado, tem que ficar esperando em pé do lado de fora, enquanto chega a sua hora. Então deixe pra vestir tudo faltando apenas meia hora pra chegar a sua vez. Nós não tínhamos experiência, então corremos pra pegar os equipos e quando fomos ver, faltava 1 hora para sermos chamados. E os caras não deixam de jeito nenhum ficar esperando na salinha – sacanagem.

Bom, passado o tempo de espera, eu fiquei com a minha professora e o Alex ficou com o professor dele. Estávamos pertinho um do outro, mas cada um tendo a sua própria experiência. Eles são muito calmos, pacientes e divertidos. Precisa mesmo ter paciência, porque é difícil descer sem cair ou pelo menos trombar com alguém por ali. Mas foi muito divertido e o saldo foi positivo, caí apenas 1 vez, apenas porque uma criança fez boliche em mim, hehe, e consegui descer o morro cheinho de neve sozinha. E o Alex conseguiu até esquiar de costas! Foi MUITO divertido! Vale 100% da experiência. Ah! Depois que acaba a aula, os professores deixam você livre pra esquiar quanto tempo quiser sozinho. Você pode explorar o parque inteiro, afinal já alugou os equipamentos pelo dia inteiro ;)

Depois de esquiar, fomos brincar no escorregador de pneus, que dá um certo arrepio, mas é massa! E também andamos de teleférico.

Foi super gostoso. Umas 15h saímos de lá e fomos almoçar no restaurante que tem vista para o parque, como já citei ali em cima.

os teleféricos do Parque de Farellones
prontinha e preparada para esquiar pela primeira vez (estava nevando muito!)

Compartilhei aqui as minhas melhores e algumas não tão boas experiências, pra que vocês saibam o que vale ou não a pena fazer, a partir das dicas de alguém que viveu tudo bem de pertinho e intensamente.

Se tiver qualquer dúvida ou quiser mais informações, pergunta lá no meu instagram @ma_sarmento.

Vou deixar aqui embaixo dois vídeos de toda a experiência que vivemos nos lugares que citei aqui nesse post, pra vocês terem uma noção de como foi a viagem! Espero que gostem :)

Um beijo e até a próxima viagem :)