Nosso blog está em manutenção...

Estamos preparando algumas novidades para vocês. Obrigado pela paciência :)

close ic

Israel: tudo o que você precisa saber antes de planejar sua viagem!

Recebi algumas perguntas no meu Instagram durante a minha viagem para Israel então, vou separar as que foram mais populares e responder por aqui :)

Israel fica localizado no Oriente Médio e está literalmente no meio de muitos países, conflitos e tradições – o que torna o destino tão polêmico, mas ao mesmo tempo, com tanta cultura e história!

PRECISA DE VISTO PARA VISITAR ISRAEL?

Não precisa de um visto, você tem que estar com seu passaporte válido e comprovante de onde irá se hospedar (e por quantos dias), ao chegar em Israel. Eles vão fazer uma pequena entrevista e te entregar um papel, um MINI ID, com a data do visto – guarda esse papelzinho para mostrar na hora de sair do país. Eles não carimbam o passaporte, apenas te entregam esse MINI ID na entrada e na saída – que é o visto.

Na hora de ir embora, é um pouco mais chatinho do que na entrada (vai entender?). Você vai passar por outra entrevista e uma revista rigorosa na sua bagagem. É bom ter em mãos endereço de onde se hospedou, informações das pessoas que estavam com você durante a viagem e ser claro e sincero que não vai ter problemas.

Uma dica essencial: chegar com pelo menos 3 horas de antecedência no aeroporto porque esses procedimentos podem te atrasar!

QUAL É A MOEDA USADA?

A moeda local é o Shekel, que vale aproximadamente 1 para 1 com o Real.

Você consegue levar dólares ou euros para fazer a troca nas casas de câmbio, que geralmente estão próximas a pontos turísticos. Quase todos os estabelecimentos aceitam cartão de crédito – mas para comidinhas de rua (aconselho!) ou compras no mercado municipal, é melhor ter dinheiro vivo.

Não é um destino super barato! Refeições saem por volta de 70 reais por pessoa, uma cerveja é uns 30 reais. Puxadinho, néam?

É DIFÍCIL SE COMUNICAR?

Apesar das línguas oficiais serem o hebraico e o árabe, a grande maioria fala inglês muito bem – principalmente nos hotéis, restaurantes, comércio e pontos turísticos. Muitas das placas de rua e cardápios tem a tradução em inglês também.

Os israelenses não são SUPER simpáticos de primeira, mas ao mesmo tempo são educados. Se você precisar de ajuda ou alguma informação, é só chegar de mansinho, pedir por favor e então, eles se amansam e vão te ajudar com o maior prazer!

É UM DESTINO PARA TURISMO RELIGIOSO?

Não necessariamente. O nome de Terra Santa não é sem motivo, Jerusalém foi o berço de muitas das religiões que conhecemos hoje e sim, existe muito turismo religioso, das diferentes religiões que estão presentes no país: judaísmo, cristianismo e islamismo. Mas, não é só disso que vive o turismo, como eu disse, Israel tem muita história e uma gastronomia super rica e que vale a pena ser explorada. Até porque não temos apenas Jerusalem, Israel oferece várias outras atrações imperdíveis em regiões como Tel Aviv, Cesarea Marítima (lugar lindíssimo!!), Galileia, Haifa, Nazaré, o Deserto da Judeia, os arredores do Mar Morto, que é um must see!

A minha viagem foi 100% focada em gastronomia, não visitei nenhum ponto religioso.

O QUE TEM PARA COMER EM ISRAEL?

Essa foi a minha parte preferida da viagem <3 A gastronomia de Israel é muito colorida, rica e com inúmeras influências dos árabes, europeus, palestinos, indianos e por aí vai…

Eu tive o prazer de prestigiar o evento Open Restaurants Jerusalem 2019 e provei pratos deliciosos, tive a honra de conhecer e conversar com diversos chefs de cozinha e entender um pouco melhor da cena gastronômica de Israel.

É uma culinária que valoriza muito os ingredientes, que usa muitas especiarias e que mesmo assim, cria pratos simples e com um sabor único! Você vai encontrar muito shakshuka, hommus, pão pita que acabou de sair do forno, vegetais preparados da melhor forma possível, suco de romã, carnes, peixes

Apesar de 80% da população ser judaica, não são todos os pratos e estabelecimentos que são KOSHER – você vai encontrar uma variedade bem grande de opções. Mas vou me controlar nesse tópico porque vou fazer um post apenas sobre a gastronomia de Israel.

QUAL A MELHOR ÉPOCA PARA IR?

Israel tem o clima bem seco e chega em temperaturas bem altas durante o verão e durante o inverno, pode fazer bastante frio – principalmente em Jerusalém, que tem temperaturas mais baixas e com bastante vento. Mas no geral, qualquer época é uma boa época para visitar Israel.

Eu fui em Novembro, que já era inverno e passei bastante frio em Jerusalém – fazia em torno de 12 graus (que com o vento deixava a sensação térmica mais baixa). Usava casaco, calça comprida e cachecol…na mesma semana fui para Tel Aviv e estava 24 graus, dava pra sair de vestidinho! A diferença de temperatura das duas cidades é bem grande, apesar da pouca distância entre elas.

Se estiver planejando a viagem para o final do ano, fica de olho nas datas do Open Restaurants, que acontece todo ano, em Jerusalém.   Porque é uma oportunidade legal de ter uma experiência gastronômica e cultural diferente! O festival junta gastronomia com arte, tecnologia e é um jeito muito bacana de conhecer outro lado de Israel.

O SHABAT AFETA O TURISMO?

Não vai estragar a sua viagem, mas muitas coisas no país se alteram e podem influenciar a vida dos turistas. Durante a noite da sexta-feira e o sábado as cidades ficam com menos movimento e muitos estabelecimentos fecham. Então, é só uma questão de se programar para entender o que vai estar aberto ou não – porque não é tudo que fecha, muitos bares e restaurantes abrem e os hotéis também continuam funcionando.

O que é SHABAT? Para os judeus, bem resumidamente, é o sétimo dia da semana, o dia de descanso – como se fosse o nosso domingo – mas com regras diferentes (ex: não pode trabalhar MESMO, não pode usar nada eletrônico…). Começa no pôr do sol da sexta-feira e vai até o pôr-do-sol no sábado, durante esse tempo os judeus ficam em casa descansando ou se juntam a amigos e família para jantar/almoçar – sendo que toda a comida já foi preparada antes do Shabat começar. Resumi grosseiramente, mas gostei muito de aprender mais sobre os costumes do judaísmo.

AS PESSOAS ANDAM ARMADAS NAS RUAS?

Não! ahahaha Assim, o serviço militar é obrigatório e você vê sim, alguns meninos e meninas fardados andando com suas pequenas metralhadoras por aí – e parece que eles precisam carregar as armas o tempo todo, mesmo quando estão em serviço. Mas não é que está todo mundo armado andando por aí. Eu vi pouquíssimas pessoas armadas, pra falar a verdade.

AS MULHERES PRECISAM ANDAR COBERTAS?

Não, você pode usar o que quiser! Apenas nos lugares sagrados, que é aconselhado cobrir os ombros e se estiver de saia ou vestido, que sejam abaixo dos joelhos, por uma questão de respeito. Mas fora dos pontos religiosos, ninguém vai nem reparar em como você se veste.

Mas se eu posso dar uma dica sobre o que vestir: qualquer coisa que seja confortável, pois vai fazer muitos passeios a pé!

VOCÊ SE SENTIU SEGURA EM ISRAEL?

Muito, o tempo todo. Como eu disse ali em cima, muitas vezes os israelenses não são os mais simpáticos de primeira, mas ao mesmo tempo vão te tratar com edução. Fora isso, não tem perigo de andar sozinha ou com itens de valor, assaltos raramente vão acontecer. Eu estava o tempo todo com minha câmera pendurada no pescoço e em nenhum momento me senti insegura ou ameaçada de nada, mesmo quando voltei caminhando sozinha para o hotel tarde da noite.

 

Espero ter respondido algumas dúvidas! Em breve vou fazer mais posts sobre Israel, com dicas do que fazer nas cidades de Jerusalem e Tel Aviv –  e compartilho com vocês. Enquanto isso, me segue no Instagram @luandagazoni para acompanhar as próximas viagens!

Beijo, beijo,